quarta-feira, 16 de julho de 2008

As preferidas da Bia

Beto e Bia não se conheciam mais sabiam da existência um do outro. Tinham conhecidos em comum e as vezes ouviam notícias sobre a vida do outro.

Beto leu sobre o lançamento do livro da Bia mas não teve coragem de aparecer. Mesmo assim comprou o livro e viajou nas viagens daquela mulher que mesmo sem nunca ter visto o rosto ou ouvido a voz dela, achava tão interessante que ele mesmo se assustava.

Bia sempre ouviu falar no Beto como a pessoa mais engraçada que os amigos conheciam. Quase um ator que incluía performances ao contar seus causos. De vez em sempre alguém vinha com a última que o Beto aprontou.

Ela fantasiava como seria esse cara e principalmente como seria ter alguém assim, tão espontâneo, quase um bobo-alegre, para alegrar a sua vida, que vinha passando por momentos nada fáceis com perdas grandes em todos os cômodos da casa.

Nenhum dos dois nunca pediu para os amigos os apresentarem e nem sequer suspeitavam que freqüentavam o imaginário do outro, simultaneamente.

O destino levou Bia para morar em Nova York o que a deixou muito feliz pela oportunidade de deixar muita coisa para trás. De certa maneira, Beto também ficou para trás, esquecido num cantinho dentro dela. Era bem mais raro ouvir suas histórias.

Um dia, no metrô, Bia lembrava de uma das histórias mais famosas do palhaço Beto. Reza a lenda que ele havia cantado La Vie em Rose no metrô de Paris, passou o chapéu recolhendo uns trocados e ganhou a aposta que tinha feito com seu primo.

Sentada ali, naquele vagão surpreendentemente vazio, cheia de livros no colo, ela riu sozinha. Sozinha como gostava de rir e chorar.

O assento ao seu lado estava livre até que senta um homem, que ela não teve tempo de analisar, só percebeu que era alto e usava uma par de All Star que foi branco um dia. Ele puxa assunto, em um inglês com um leve sotaque que ela não conseguiu identificar:

- I know the writer of this book. She’s my friend.
- Which one? This one? – ela falou mostrando o próprio livro.
- Yes! It’s a wonderful book! Very good!
- Seu mentiroso! Eu não conheço você.
- Bia?
- Não pode ser!!! – seus olhos saltaram.
- Viu como eu te conheço – disse ele gargalhando, nervoso e também engasgado com tamanha peça do destino.

Nada mais precisou ser dito. Só os olhos, tontos e zuretas, olhando um para o outro. O sangue deu umas três voltas pelo corpo. O coração parecia que ia estraçalhar o peito como uma granada. Foram 37 segundos até a boca de Bia abrir:

- Eu esperei tanto tempo você chegar na minha vida.

Beto se mudou para Nova York dois meses depois. Incentivado por Bia, ele colocou suas histórias no papel e acaba de lançar seu livro, que se chama “As preferidas da Bia”.

Além de livros, estão pensando também em fazer filhos e plantar uma árvore.

10 comentários:

Dgão disse...

Uh! uh!!
Arrazou........
Quero autografo na minha cópia ok.?
Parabens pela estreia , tão especial...
Seu "always" fã...

Roberta disse...

q história linda....sempre leio seu blog mais nunca deixei recado, essa me comoveu :').
Bjos, Roberta.

ps: te achei nos favoritos da mc

Dgão disse...

Viu ?????
Te disse ...

Violet Scott disse...

gostei, bela.
encontros em NY são sempre cenas de estórias minhas. tudo é possível por lá e o impossível torna-se conveniente!
beijo, VS.

Dedinhos Nervosos disse...

Sempre vejo seu link no blog da Rê, mas essa é a minha primeira visita aqui. Adorei o texto e já torcia por um encontro totalmente casual, como o q aconteceu. Arrasou. Bjos.

Re disse...

Fala sério.
Vc conseguiu me fazer chorar no meio do trabalho numa sexta feira a tarde!
Obrigada
rsrsrs
beijos
Re

Roberta disse...

Hj li de novo
;-)

sis disse...

Amei a estoria! De deixar arrepiado! Parabéns! Hj li de novo tb.

Tiago disse...

Como disse Violet, "Encontros em NY", isso me lembra Allen, e se me lembra Allen adoro sem precisar ler, imagina lendo?
Muito bom Anna.

Ps.: olha isso aqui, não foi você que curtiu a campanha da Nobel?
http://www.ccsp.com.br/novo/pop_pecas.php?id=26106
http://www.ccsp.com.br/novo/pop_pecas.php?id=26108
http://www.ccsp.com.br/novo/pop_pecas.php?id=26109

Beijos.

ANNA disse...

Adorei que minha historinha trouxe novos comentarios! Roberta e Dedinhos, voltem (e comentem) sempre!

Re, chorou mesmo? Que coisa boa de ouvir, sabia? Obrigada por ter entrado ai dentro!

Thanks, Dgao, Vaio, Sis! Que bomque vcs gostaram. Assim vou me arriscar em mais algumas. Tudo bem agua com acucar.

Tiago, Woody Allen foi demais. Menos por favor! rsrs Ah! Adorei a nova parte da campanha.