sábado, 13 de outubro de 2007

Dia das crianças

Era para ser como um feriado qualquer, mas não foi... Afinal era dia das crianças! Dia de fazer arte!!!

Começei meu dia dando uma pedalada e observando as crianças aproveitando a pista da praia fechada para estrear seus novos brinquedos recém-saídos de suas embalagem e cheirando a novo: patins, bicicletas, carrinhos de controle remoto, skate, patinete, tênis-mola (sim, isso existe!) e um brinquedo que não sei o nome que é a releitura de um brinquedo antigo tipo um carretel com uma linha em que se equilibra, joga para o alto e pega de novo o troço de plástico colorido (deu para entender???).

Na minha lista de tarefas, estava cumprir uma promessa feita ao Miguelzinho (a criança mais fofa do mundo, de 3 anos, que conheci em Israel). Passei a viagem inteira prometendo que ia levar para andar de skate assim que a gente chegasse). No primeiro fim de semana, a mãe dele me ligou mas eu não podia, no segundo ela não ligou nem eu, então pensei que esse seria o dia perfeito: Dia das Crianças!!!

Miguelzinho estava no Baixo Bebê e fui para lá com meu skate possante! Acho que eu fiquei mais feliz que o ele, afinal de contas eu também tinha meu brinquedo para desfilar no calçadão! A praia já estava mais vazia e ficamos uns 10 minutos brincado para lá e para cá, até que... uma moça no caminho, não nos vê, e só tive tempo de pular do skate, pegar Miguelzinho pelos braços, dar uns três passos ainda no embalo e chão!!! Um mega tombo! Feio mesmo! Achei que tinha arrebentando com ele mas GRAÇAS A DEUS ele tive um micro arranhão na perna!

Aos poucos fui detectando os estragos em mim: joelhos ralados, cintura sangrando, mão esfolada e um dedo inchado e sem se mexer e uma dor no maxilar que foi o que realmente me preocupou! Ah, não tinha visto mas meu queixo também se ferrou!

Depois de ver que Miguelzinho estava mais calmo (e a mãe dele idem) e pedir mil desculpas, fui para casa cuidar de mim! Agua oxigenada nos esfolados (como dói!!) e achei melhor ir ao médico dar uma olhada no dedo e no maxilar.


Aqui estou eu: de molho, toda dolorida, com o indicador direito imobilizado (como é difícil ser canhota), o queixo roxo e ralado...

Moral da história: não brinque com o brinquedo, ou melhor, com a criança dos outros! Acidentes acontecem, mas fui uma inconsequente! Brinquedo de gente grande não é para uma criança (dos outros) de 3 anos! E não queira voltar a ser criança aos 30 porque não é tão engraçadinho assim contar para os outros que você caiu do skate! Os danos poderiam ter sido muuuuito mais sérios!

4 comentários:

Gastón disse...

Arteira mas quase ninja né? Saltou, desviou, salvou o Miguelzinho... Cena de filme no calaçadão. E sem dublê. Cuida desse dedo aí. Beijos.

dgão disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Bernardo Esteves disse...

Que triste o seu dedo... Espero que você se acostume rápido à sua vida de canhota nas próximas semanas.

Em todo caso, o brinquedo do começo do texto se chama diabolô!

ANNA disse...

Valeu, Gaston! Quase boa...

Bernardo, obrigada pelo nome do diabolo!