segunda-feira, 20 de outubro de 2008

Estômago

É estranho passar pela frente de um prédio que você passa todo santo dia e saber que nessa madrugada aconteceu um assassinato lá. Principalmente quando esse prédio está à uma quadra da sua casa. E ainda mais sendo o prédio mais caro e mais seguro do Leblon.

É aquele prédio dos seguranças que são meus amigos... Hoje, ao vir trabalhar, não vi os seguranças, talvez porque os carros de polícia e câmeras de TV tenham chamado mais a minha atenção.

A sensação é a mesma de terem matado alguém que você conhece ou alguém que mora embaixo de você. Mas você estava dormindo e não ouviu o tiro. Como é que uma coisa dessas acontece?

Como é que um cara de 28 anos dá um tiro na pessoa responsável pelo sustento de toda sua família por quase 3 décadas? Como é que uma pessoa arruína a própria vida e a vida dos outros com tanta facilidade?

Essa indignação também serve para o caso de Santo André. A diferença? Um empresário milionário de 73 anos e uma menina classe média baixa de 15 anos.

No auge da juventude ou na tranquilidade da terceira idade, ninguém merece ter a vida interrompida por um problema dos outros. Ninguém tem direito de tirar de uma família um pai ou uma filha.

Vou mudar o caminho por uns tempos. Não quero passar ali. Não gosto de piscar os olhos e visualizar essa cena. Não quero ler jornal, nem ver televisão. Estou enjooada com tudo isso. Onde isso tudo vai parar? Que mundo meus filhos vão encontrar? E meus netos? Embrulhei.

5 comentários:

Gabriel disse...

Oi Anna,
Te "vi" no Blog da Rê.
Fiz um post ontem sobre o caso de Santo André. Se puder veja a entrevista do psiquiatra que me refiro no meu post.
É, na minha opinião, a explicação mais plausível para todas as coisas que nós vivemos nos últimos tempos.
A pressão da sociedade pelo TER!
Aproveitemos estes momentos de reflexão para crescermos e mudarmos.
bj

Re disse...

Anna,
O pior é a exploração na mídia de tudo isso...
Não vamos mostrar como se faz, não vamos criar heróis e anti-heróis da tragédia e sim da glória...
Muda o caminho mesmo, muito triste ainda ouvir que foi por acidente.... O Sr. Sendas que se cuidava, malhava, caminhava, trabalhava aos 72 anos (queria viver até os 100, segundo os amigos) morreu por acidente?
Medo do futuro, medo dos meus filhos que ainda não nasceram neste mundo...
beijos
Re

ANNA disse...

Gabriel, gostei e concordo com o psiquiatra! Mas quem vai fazer o que quando? No dia seguinte o assunto já vira a gravidez da Ivete Sangalo... Coitada.

Re, nem me fala. pelo menos eu gostei de ter visto que eles não exploraram a imagem das famílias... Que pena que tenho do pai desse assassino. Vida triste!

Gabriel disse...

Anna,
NÓS temos que fazer AGORA!
Temos que começar a quebrar estes fortes elos de indiferença, desamor e egoísmo.
Como? Abraçando seu vizinho, cumprimentando todos com um sorriso no rosto pelas ruas e praias do Rio, questionando o que dura mais geladeiras ou casamentos, etc etc
Pequenas atitudes amorosas podem transformar...
Por favor, leia "Vivendo, Amando e Aprendendo", e, acho que vai ficar com o mesmo sentimento de esperança e desejo de salvar o mundo que fiquei depois de ter lido...
É um livro dos anos 70/80!! Falando sobre AMOR!
bj

mc disse...

Pela primeira vez me sinto por fora de um assunto e fico feliz por isso.

que PODRE.