terça-feira, 23 de dezembro de 2008

Muitas perguntas. Nenhuma resposta.

Se você teve uma boa intenção já é o suficiente de se sentir glorioso mesmo não tendo "efetivado" o que queria? Merece um troféu?

Agora se você teve a intenção de fazer algo negativo, não tem problema? Não merece ser julgado nem punido porque afinal foi só a intenção e também não efetivou o que pensou?

Por que a intenção tem dois pesos e duas medidas? Por que é tão diferente quando você que muda de lado? A gente deveria desculpar quem teve uma intenção ruim e provou não ter ido a diante? 

Se você teve a intenção de fazer uma boa ação por alguém e não fez?
Se você teve a intenção de mudar a sua vida para ser feliz e não teve coragem?
Se você teve a intenção de trair alguém e não traiu?
Se você teve a intenção de espionar alguém e na hora H caiu em si?

E se a gente tem a intenção de buscar a felicidade, vale tudo? E se o outro não enxerga a verdadeira intenção de uma intenção? O que está errado?

Afinal, a intenção é que vale? E qual a punição justa por termos tido uma intenção ruim? Quem é que pode nos julgar?

De boas intenções o inferno está cheio? E no céu?

Um post só com interrogações? Alguém responde?

Quero aproveitar esse fim de ano e pedir desculpas por minhas intenções: as ruins, por terem existido na minha cabeça, e também pelas boas, por não ter transformado em ação ao invés de deixar só no plano do pensamento e da vontade. Vivendo e aprendendo!

3 comentários:

Re disse...

?
beijos
Re

isaBela araújo silvA disse...

eu acredito que sempre estamos fazendo o melhor que podemos naquele momento... ou não.
rsrs.

mc disse...

sensacional. Porque a intenção tem dois pesos e duas medidas?

Você botou uma pulga atrás da minha orelha que antes não existia.