sexta-feira, 5 de dezembro de 2008

Tipo S-3.5 +

Mulher é mesmo um bicho engraçado. E mais divertido ainda é um mulher analisando outras mulheres.

Ontem eu tive a oportunidade de analisar um grupo curioso delas, que vou chamar de S-3.5 Plus. São mulheres solteiras (que nunca casaram) com mais de 35 anos.

Elas gostam (e precisam) chamar atenção não só dos homens ao redor, como das outras mulheres. Para isso se exibem falando bem alto, rindo muito (como se estivesse falando coisas probitivas e que ninguém imagina o que é), enchendo a cara, e principalmente dançando, vestidas para matar, claro!

Esse capítulo é especial. As mãos para o alto em movimentos giratórios semelhantes à um helicóptero alternados com outros que me lembravam um trem é uma tentativa similar a pendurar uma melancia no pescoço. Quando os passos evoluem para a requebrada até o chão ou para a encoxada com os gays (sim, só eles estrelavam o show na pista de dança) é o ápice do espetáculo que certamente deve ser ensaiado em casa na frente do espelho ao som do último hit pop rebolante (que eu não faço idéia qual seja). Um comportamente quase adoloscente.

Qual a impressão que querem passar? Estão se divertindo mesmo? O que realmente são? O que conseguem com isso? One night stand? Um cara casado que não vê a mulher rebolar faz tempo? Presas fáceis... É isso que elas querem?

Meu status já mudou de S para Semi-Novos (ou YD), o que faz uma enorme diferença já que o desespero é o fator principal dessa euforia histérica. Chegar aos 3.5 e passar do Plus, é inevitável, mas se bastar é a melhor virtude que uma mulher pode ter.

Idade é diferente de maturidade, o que teoricamente pode se confundir. Maturidade é dar mais valor a uma boa taça de vinho ao invés de tentar matar a "sede" com 15 latas de cerveja. E principalmente, saber desfrutar de uma taça de vinho sozinha. (se não gosta de vinho troque pelo que quiser)

IMPORTANTE: Esse post não tem como objetivo rotular, generalizar nem julgar ninguém. Foi só um exercício mental levemente alcoolizado ao perceber que não me encaixava no Bonde das Tigresas. Era para ser um tema engraçado apesar de algumas pseudo-profundidades...

8 comentários:

rafa assump disse...

e eu achava que eu era o único antropólogo urbano contemporâneo...

vejo que você tem mestrado nessa disciplina também :-)

Wilson disse...

o meu lado antropólogo (mas daqueles bem complacentes... rs) quer saber o seguinte... onde foi isso, minha linda???

UtópicA disse...

Ontem estive num "chá da tarde" de um grupinho de ladies versão 5.5

Eu ria com todas as partes do meu corpo (exceto com a cara, pra não dar na pinta).

Merece um post, FATO.
Beijos!

isaBela araújo silvA disse...

perfeito!
principalmente o lance idade versus maturidade. eu venho buscando a minha faz um tempo, acho que venho alcançando um bom resultado... rsrs.

mc disse...

e a trilha sonora era "Extravasa" da Ivete ou "I feel like a woman" da Shania??

heheheheh

Re disse...

Ainda bem que vc não é do Bonde das Tigresas... sem rótulos... adoro tomar um bom vinho sozinha em casa, ops sozinha nunca, pois quem tem 2 vira-latas a vida é bem lotada.... rs
beijos
Re

Sally Brown disse...

Adorei. Saber desfrutar a própria companhia é uma coisa que infelizmente poucas pessoas conseguem fazer, né?
E concordo que existem muitas pessoas tão preocupadas em parecer felizes que se esquecem de ser.
Bjos

ANNA disse...

Rafael, que bom que não sou a única! rsrs Conte-me suas teses!

Wilson, depois de conto... hahaha

Bia, 5.5 também tem histórias divertidas! Assim com as 1.5! Tem estado com adolescentes recentemente? É hilário!

Re, não vai embebedar esses cachorros, hein!

Sally, isso a gente só aprende na marra, e leva tempo... Mas é bom quando a lição é bem aprendida!