segunda-feira, 24 de março de 2008

Siga aquele vestido!

Rio de Janeiro, Shopping Leblon, sábado, 14:32

Lu e Du passeiam pelos corredores, tricotando, quando de repente, as duas olham para trás e na volta seus olhares se cruzam. Tinham certeza que estavam fitando o mesmo objeto de desejo: um vestido cinza lindo, que era a cara de Du (mais do que a de Lu)! 5 segundos de silêncio e Lu sugere:

- Você tem coragem de perguntar onde ela comprou?
- Tenho mas não vou não... Deixa pra lá!

Lu, que tem uma certa experiência em comércio, dá a dica:
- Tenho certeza que ela é vendedora, está sem bolsa, só com a carteira e o celular na mão! O vestido deve ser da loja que ela trabalha! É só a gente seguir que vamos chegar no lugar certo.

Du sorriu e arriscou, um pouco na dúvida de que aquilo ia dar certo. Uns 50 metros depois a moça do vestido cinza, pára em uma vitrine de uma loja masculina e as duas pararam 3 metros atrás. Lu mais uma vez, como se ela própria estivesse escrevendo o roteiro e definindo os passos da moça:
- Não é ali que ela trabalha... Ela deve estar em horário de almoço, vai rodar o shopping inteiro e a gente vai ficar rodando atrás igual perú tonto! Aproveita que ela está parada ali e pergunta para ela de onde é o vestido.

Du ficou tímida e não teve coragem. Lu fez as vezes de irmã mais velha e simpaticamente se aproximou do vestido:
- Com licença, seu vestido é lindo! Você se incomoda de dizer de onde é?

Bingo! Lu tinha acertado tudo:
- Claro! É da loja que eu trabalho, logo ali. Acabei de sair para almoçar mas volto lá para mostrar para vocês.
- Não precisa se incomodar já que está no horário de almoço, mas nada mais justo que você ficar com a venda afinal de contas... (Papo de vendedora(s)!!)

Lu e Du compraram o vestido cinza, um para cada uma, P e M. E saíram felizes, assim como a vendedora, que além da comissão, pode considerar um super elogio! É tão bom quando alguém vem te perguntar do nada de onde é alguma coisa que você está usando...

Lu gostou da brincadeira e outro dia, no supermercado, repetiu a brincadeira! Não com a vendedora do supermercado mas com uma outra cliente! E vai comprar o objeto de desejo em par: um para ela e outro para Du! E desde já fica combinado que sempre que uma ou outra for usar o vestido cinza, ou qualquer outro item como os vários que elas têm iguais, vão se avisar! Foi se o tempo em que elas podiam dividir o mesmo guarda-roupas...

P.S.1 - Gerentes de loja: vocês deveriam colocar as vendedoras para circular por aí com as melhores roupas! Du e Lu jamais entrariam nessa loja do vestido cinza.

P.S.2 - Mulheres (e homens): Elogiem e perguntem (quando sincero, claro!) quando alguém (desconhecido, principalmente!) estiver usando alguma coisa bacana! Você pode conseguir uma ótima dica e vai fazer super bem para alguém!

6 comentários:

Wilson disse...

Anna, concordo com os seus "PS" em gênero, número e grau!

Mas preciso registrar que a minha 1ª experiência neste tipo de abordagem foi mais que frustrante, pois o alvo do elogio (em um mega-evento na Fundição Progresso) era um tipo meio "blasé" que respondeu com algo do tipo: "comprei na loja de uma amiga numa viagem por New York..."

E isso foi dito com aquela carinha de "nem adianta me pedir o endereço..."

Mas, felizmente, não me abati... ha! ha! ha!

Gastón disse...

Sincronia de títulos total :0)

Du disse...

ADOREI! A historinha ficou fofa e o desenho tb. (não tanto quanto o vetido real - hehehe) Tô rindo sozinha aqui!!

ANNA disse...

Isso ai, Wilson! Nao se abale com esse babaca!

Nao foi, Gasta? Levei um susto!

Du, vamos marcar mais uma?

ANNA disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Re disse...

hahaha Este é o melhor marketing que uma loja pode fazer...
Tenho uma amiga que foi para nova york só para comprar uma calça que viu num catálogo de sei lá onde, enfim, chegou lá e a calça acabou, a vendedora estava usando uma que ela queria e ela fez a moça escolher outra calça da loja para ela lhe dar em troca da usada...
Ela voltou feliz da vida com sua calça semi usada...
Calça cara essa.... o que nós mulheres não fazemos por uma vaidade?
beijos
Re